Blog

Tendência de Verão?

É Agosto.
E para quem tem filhos no ensino secundário ou a frequentar a faculdade, este é o “tradicional” mês de férias.
Este ano, não foi possível “ir de férias” no período da Páscoa pelo que, necessariamente, o período para repor energias terá que ser nestes meses de Verão.

E estou assim de férias, este ano diferentes, numa segunda casa de família no Norte de Portugal.
Tenho o privilégio de poder usufruir de uma casa junto à praia, não partilhada, com espaço exterior.
Mas, como para tantos portugueses este ano são realmente umas férias diferentes, com a maioria das refeições “in the house” , sem saídas à noite, focadas numa vivência familiar mais intimista e onde somos levados a recuperar os jogos de cartas e as noites de monopólio.

A procura este ano, para passar as férias, é cá dentro!
Em habitações unifamiliares, se possivel isoladas, em zonas calmas e de pouca densidade populacional.
Foram relevados para segundo plano, os hotéis , os resorts junto a praias amplamente povoadas e os alojamentos locais nas grandes cidades.
E é muito interessante avaliar como estas alterações no comportamento e no modo como gozamos as nossas férias tem impacto no mercado imobiliário.
Na década de 80/90, assistimos à compra de segundas habitações, pelas famílias que tendo adquirido algum poder de compra, valorizavam um espaço, a 1 a 3 horas de viagem dos grandes centros onde moravam, para passar os fins de semana e o mês de Agosto (as férias das crianças)!
As viagens internacionais foram ficando cada vez mais acessíveis permitindo outro tipo de férias, os custos de manutenção destas casas tornaram-se para muitos elevado face à utilização dada ao imóvel, as crianças cresceram, e, nestes últimos anos assistimos à venda de muitas destas casas.
Não fazia sentido ter duas habitações, uma principal e outra secundária quando, nas férias, a opção escolhida era um hotel, muitas vezes em regime de tudo incluido, cada ano num local diferente para conhecer!
Este ano … este ano, fomos obrigados a valorizar de novo as casas de férias.
Voltamos a um ritmo de férias mais lento, mais familiar, onde continuamos a cozinhar a fazer as refeições em casa, de preferência no jardim ou no terraço 🙂 … as piscinas insufláveis esgotaram e o mobiliário de exterior teve uma procura inimaginável.
E a procura pelas habitações com espaço exterior, fora dos grandes centros, está novamente a evidenciar um comportamento crescente.

Será um tendência para ficar?
Fará ou não sentido termos um espaço onde sempre possamos voltar e relaxar em alguns fins de semanas e no mês de Agosto?

Boas Férias!
E, já agora, qual foi a sua opção para as férias deste ano?