Telefone: +351 929 261 237

Preços das casas na união de freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde aumentou 20,2%

 

O valor mediano dos preços da habitação em Portugal, em 2017, apurados no quarto trimestre, fixou-se em 932 euros por metro quadrado (€/m2), um valor que fica muito abaixo dos preços registados em algumas freguesias de Lisboa, como a de Santo António, que se fixou em 3827 €/m2, ou da Misericórdia, em 3520 €/m2.

No Porto, onde o valor mediano da cidade foi de 1307 €/m2, os preços mais elevados foram registados na União de Freguesias de Aldoar, Foz do Douro e Nevogilde, situando-se em 1955 €/m2, o que representa uma variação homóloga acima de 20,2%. A maior variação anual foi registada no centro, na união de freguesias de Cedofeita, Santo Ildefonso, Sé, Miragaia, São Nicolau e Vitória, com o valor a atingir 1512 €/m2, uma subida de 35,7& face ao quarto trimestre de 2016.

O preço mediano dos alojamentos vendidos no Algarve situou-se em 1383 €/m2. Bem acima deste valor ficaram os municípios de Loulé (1756 €/m2), Lagos (1624 €/m2) e Albufeira (1510 €/m2).

Os dados divulgados esta quarta-feira pelo INE referem-se às novas Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local, com base em transacções de imóveis, de forma a permitir “ampliar o conhecimento sobre o mercado de transacções de imóveis destinados à habitação”. Nestas estatísticas toma-se a mediana (valor que separa em duas partes iguais o conjunto ordenado de preços por metro quadrado) como valor de referência para os preços de venda de alojamentos familiares (euros/m2), o que permite reduzir o efeito de valores extremos da leitura do mercado de transacções de habitação à escala local.

À escala das cidades, e em termos homólogos, o valor mediano disparou 18,1% na cidade de Lisboa, 17,6% no Porto e 15,9% na Amadora. A cidade de Braga registou o menor crescimento relativo (5,4%) entre as cidades com mais de 100 mil habitantes.

 

Casas novas mais caras

 

Para além de Lisboa e Porto, 37 outros municípios apresentaram um preço mediano de venda de habitação acima do valor nacional, localizados, maioritariamente, nas sub-regiões Algarve (13 municípios), Área Metropolitana de Lisboa (11) e Área Metropolitana do Porto (5). O município de Lisboa (2438 euros/m2) manteve, em relação ao trimestre anterior, o preço mediano de vendas de habitação mais elevado do país e com valores acima de 1500 €/m2 destacaram-se os municípios de Cascais (1922 euros/m2), Loulé (1763 euros/m2), Lagos (1687 euros/m2), Oeiras (1642 euros/m2) e Albufeira (1572 euros/m2).

De acordo com os dados divulgados, a Área Metropolitana de Lisboa foi a sub-região que registou a maior amplitude de preços da habitação entre municípios (1851 €/m2): o menor valor registado foi na Moita (587 €/m2) e o maior em Lisboa (2438 €/m2). O Algarve, a Região de Coimbra e a Região Autónoma da Madeira registaram também um diferencial de preços entre municípios superior a 800 €/m2, tal como no 3º trimestre de 2017. Por outro lado, a NUTS III Alentejo Litoral apresentou a menor diferença de preços entre municípios: 1065 €/m2 em Sines e 829 €/m2 em Alcácer do Sal. NUTS diz respeito à Nomenclatura das Unidades Territoriais para Fins Estatísticos.

A nível nacional, o preço mediano de vendas de alojamentos novos foi de 1064 €/m2, já o dos existentes situou-se em 909 €/m2.

As sub-regiões Área Metropolitana de Lisboa (1615 €/m2), Algarve (1538 €/m2), Região Autónoma da Madeira (1212 €/m2) e Área Metropolitana do Porto (1119 €/m2) apresentaram um preço mediano de venda de alojamentos novos acima do valor nacional. Estas NUTS III, com excepção da Área Metropolitana do Porto, foram também as que registaram preços de alojamentos existentes superiores ao referencial nacional: o preço mais elevado registou-se no Algarve (1346 €/m2), seguindo-se a Área Metropolitana de Lisboa (1214 €/m2) e a Região Autónoma da Madeira (1088 €/m2).

Entre as 25 NUTS III do país, o menor preço mediano de alojamentos novos vendidos verificou-se no Alto Alentejo (494 €/m2) e o menor preço de alojamentos existentes registou-se na sub-região Beiras e Serra da Estrela (416 €/m2).

À semelhança do trimestre anterior, a Área Metropolitana de Lisboa apresentou a maior diferença entre o preço de alojamentos novos e o de alojamentos existentes (401 €/ m2).

As Estatísticas de Preços da Habitação ao nível local resultam do aproveitamento de dados da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT), relativos ao Imposto Municipal sobre as Transacções Onerosas de Imóveis (IMT) e ao Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI).

Os resultados para o ano acabado em cada trimestre, desde o 1º trimestre de 2016 até ao 4º trimestre de 2017, que incluem dados por tipologia, estão disponíveis aqui na opção Informação Estatística, Dados Estatísticos, Base de dados (ver lista de indicadores no final do destaque). É ainda disponibilizada uma aplicação, a  Preços da Habitação na Cidade, para consulta interactiva dos preços medianos de venda de alojamentos familiares (euros/m2) para as cidades de Lisboa, Porto, Vila Nova de Gaia, Amadora e Funchal e Braga.

Fonte: publico.pt

Share this article