Telefone: +351 929 261 237

Gostava de viver em dois países ao mesmo tempo? Esta casa é a solução

Casa que fica no meio da fronteira entre os Estados Unidos e o Canadá está à venda. Tem 658 metros quadrados, precisa de obras e acarreta alguns problemas de deslocação pelos dois países.

Gostava de viver em dois países ao mesmo tempo? Esta casa é a solução

Se alguma vez sonhou viver em dois países ao mesmo tempo, esta pode muito bem ser a casa dos seus sonhos. Para os seus donos já não é, visto que decidiram colocá-la à venda. A casa está no meio da fronteira dos Estados Unidos com o Canadá, estende-se entre Beebe Plain, estado norte-americano do Vermont, e Stanstead, no Quebec.

A casa data de 1782, tem 658 metros quadrados, espessas paredes de granito e está atualmente dividida em cinco apartamentos. Parece uma casa, sem dúvida, interessante. Mas vender uma casa que está em dois países pode ser um problema, como os donos estão a descobrir.

Brian DuMoulin e a sua esposa Joan colocaram-na à venda por 109 mil dólares (97 mil euros). O valor até parece em conta, mas a casa precisa de obras com um custo que pode chegar aos 600 mil dólares (cerca de 536 mil euros) e convém não esquecer os problemas de viver numa fronteira entre dois países.

Se quando o casal herdou a casa, há 40 anos, as deslocações entre um país e o outro eram algo normal e habitual, agora as questões de segurança impõem-se. “Stressa todas as pessoas”, diz Brian DuMoulin.

A casa do casal tem portas que dão para os Estados Unidos e outras para o Canadá. Os agentes fronteiriços dos dos países já os conhecem e como tal não lhes levantam problemas quando têm que ir a um país ou a outro, desde que fiquem dentro da casa ou nos quintais que têm à entrada e nas traseiras da casa.

A agente imobiliária que está a tentar vender a casa, Rosemary Lalime, diz que há interessados na casa. Mostrou-a seis vezes nas duas últimas semanas e já agendou mais seis visitas. Mas o problema é a fronteira. Um dos interessados ligou de Toronto. “Ele estava a perguntar mais pela situação da fronteira e se a comprasse, quais seriam os seus direitos. Pu-lo em contacto com a Patrulha da Fronteira”.

 

Fonte: noticiasaominuto.com