Telefone: (+351) 929 261 237

Dicas para preparar um jantar de Natal em segurança

 

Tentar arranjar espaço no forno para o assado e para todos os acompanhamentos não é o pormenor mais preocupante da época festiva. Não quando a salmonelose é reconhecida como uma das principais infecções transmitidas pelo consumo de alimentos.

E a salmonella não é a única bactéria que poderá existir nos alimentos.

Os outros culpados comuns que causam doenças de origem alimentar são:

  • Campylobacter
  • Clostridium perfringens
  • coli
  • Listeria
  • Norovirus

A manipulação de alimentos e cozinhá-los à temperatura adequada são duas das coisas mais importantes ao preparar o seu jantar de Natal.

Tenha cuidado ao descongelar alimentos uma vez que qualquer bactéria que possa estar presente antes do congelamento poderá começar a crescer novamente a temperaturas mais altas.

Coloque a comida embalada num saco ou noutro recipiente para evitar que os sucos passem para outros alimentos. Nunca deixe alimentos congelados no balcão da cozinha a descongelar.

Comece com uma superfície de trabalho limpa

 

Evite transferir bactérias que possam estar em bancadas ou em tábuas de corte para a comida que estiver a preparar, lavando todas as superfícies de trabalho com água quente e sabão. Enxague bem e use uma toalha limpa para secar as superfícies.

Use uma tábua de corte específica para carnes e outra para outros produtos.

A seguir, foque a sua atenção para todas os utensílios e equipamentos que usará na preparação da refeição.

Facas, tigelas, peças para servir e recipientes de armazenamento devem receber o mesmo tratamento que as superfícies de trabalho – lave-os em água quente e sabão ou no lava-louças.

Posteriormente, lave bem as mãos e lave-as com frequência, especialmente depois de manusear carne crua ou frango.

Lavar produtos

 

A melhor maneira de limpar produtos com pele firme, como pepinos, cenouras e maçãs, é escová-los sob água corrente.

Ervilhas, alface e frutas com peles macias podem ser colocadas num escorredor e lavadas em água corrente.

O Peru deve ser assado a uma temperatura interna de 165 e a única maneira de perceber se um peru é cozinhado a uma temperatura segura é com um termómetro de alimentos. Recomendam-se testes em três locais, a parte mais interna da coxa, a parte mais interna da asa e a parte mais espessa do peito.

Tenha cuidado com as sobras

 

A segunda causa bacteriana mais comum de intoxicação alimentar pode ser atribuída ao Clostridium perfringens. São bactérias que crescem em alimentos cozinhados e deixados à temperatura ambiente. E, como esperado, hospitais e médicos vêem a maioria dos doentes em Novembro e Dezembro.

Dicas adicionais

 

  • Nunca use recipientes não lavados ou pratos que contenham alimentos crus para guardar alimentos cozidos.
  • O mesmo é válido para utensílios – use utensílios limpos para alimentos cozidos.
  • Embora seja recomendável descongelar o peru no frigorífico, também poderá ser descongelado em água fria
  • Evite lavar o peru antes de rechear (a superfície do peru pode conter bactérias e lavá-lo pode espalhar os organismos).

Boas Festas!

 

Fonte: agreatlistingagent.com

Share this article