Telefone: +351 929 261 237

Crescente procura a Norte traz de volta ao Porto um salão imobiliário

 

O Porto volta a receber em junho, após sete anos de interregno, um salão do imobiliário que a organização considerou hoje fazer “todo o sentido” dada a crescente representatividade da região na grande procura imobiliária existente no país.

“Este regresso de um salão imobiliário ao Porto acentua a normalização do mercado e também a representatividade que a região Norte, e em especial o Porto, têm ganhado no panorama imobiliário nacional, reunindo já grande parte da procura imobiliária quer por parte do mercado interno, quer por parte de estrangeiros”, afirmou o presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP).

Luís Lima apresentou hoje em conferência de imprensa a primeira edição do Salão Imobiliário do Porto – SIP 2018, que decorre nos dias 07, 08, 09 e 10 de junho na Exponor, em Matosinhos, numa iniciativa da APEMIP e da Associação Portuguesa dos Comerciantes de Materiais de Construção (APCMC), em parceria com a Associação Empresarial de Portugal (AEP).

Segundo o presidente da APEMIP, Luís Lima, depois de os anos da crise imobiliária terem impedido a associação “de apoiar a continuidade de um evento regional” do setor no Norte do país, optando antes pelo apoio a um salão de âmbito nacional em Lisboa, o dinamismo da atividade na região faz com que o Porto mereça o regresso de um salão à cidade”.

“Agora que o Porto é a segunda cidade do país que mais procura regista justifica-se a existência de um certame como este, que é o momento ideal para promover a oferta do Porto e da própria região Norte”, sustentou.

De acordo com dados da APEMIP, no final do terceiro trimestre de 2017 a região Norte representava cerca de 30% das casas vendidas em Portugal, com 32.702 transações num total de 110.847 habitações comercializadas, enquanto a Área Metropolitana do Porto (AMP) representou cerca de 18% (19.303 imóveis).

As estimativas da associação apontam que, no ano passado, o número de transações imobiliárias tenha crescido cerca de 25% em relação a 2016, o valor mais alto de que há registo, prevendo Luís Lima que em 2018 esta percentagem possa atingir os 30%.

De acordo com o dirigente associativo, a captação de investimento estrangeiro “será um dos focos” do SIP 2018, que “trará a Portugal o encontro de primavera da Confederação da Construção e do Imobiliário de Língua Oficial Portuguesa (CIMLOP) e contará com as presenças de representantes das associações americana, francesa, angolana, brasileira e moçambicana”.

“O foco no investimento estrangeiro justifica-se pela importância que [este] tem no imobiliário em Portugal”, sustentou Luís Lima, salientando que os compradores internacionais representaram 20% do mercado imobiliário português em 2017, com destaque para os franceses (29%), brasileiros (19%), ingleses (11%), chineses (9%) e angolanos (7,5%).

Apostado em promover a oferta do mercado do imobiliário e materiais de construção da região Norte e em divulgar o Porto e a região Norte junto de investidores internacionais, com o objetivo de captar investimento para este segmento, o SIP 2018 tem como público-alvo potenciais investidores nacionais e estrangeiros, profissionais do setor imobiliário, convidados internacionais e o público geral, sendo esperados cerca de 30 mil visitantes.

Entre as várias dezenas de expositores presentes estarão mediadores imobiliários (que terão de ter licença do Instituto dos Mercados Públicos, do Imobiliário e da Construção – IMPIC e ser associados da APEMIP), empresas de construção e materiais de construção e representantes da banca, dos serviços, de turismo e atividades turísticas e das autarquias da região.

 

Fonte: dn.pt

Share this article