Blog

Comprar ou Arrendar?

Na hora de escolher uma casa, qual a melhor opção, comprar ou arrendar?

Apenas 26,1% dos portugueses opta pelo arrendamento, de acordo com estatísticas da União Europeia, ou seja, a preferência recai claramente pela opção de compra.

Fará sentido?
Diria que depende!

A compra de casa é tradicionalmente a realização de um sonho para os portugueses e traz, seguramente várias vantagens.
Desde logo, uma maior segurança e estabilidade, na medida em que a permanência na casa é uma decisão sua; não está dependente de contratos de arrendamento nem de senhorios.
Há também mais independência e liberdade para a realização de obras e melhorias.

Por outro lado, o valor da prestação do crédito à habitação é, na maioria das situações, inferior ao valor da renda do imóvel.

De qualquer modo, à que estar atento ao mercado no momento ide comprar (e vender): o valor dos imóveis oscila e o mercado é cíclico. A escolha do momento e da localização certos é importante para garantir que faz um bom investimento, que não venha a sofrer uma desvalorização significativa.

Por outro lado, comprar implica custos não presentes no arrendamento como, despesas de manutenção e conservação, condomínio, seguros, entre outros.

Diria que a grande vantagem do arrendamento é a liberdade e flexibilidade que proporciona. Mudou de emprego, a família aumentou, não gosta dos vizinhos? Basta mudar!
Fica sempre, contudo, com a sensação que está a pagar uma renda de algo que não é seu!

A opção de arrendamento será, sem dúvida, a opção ideal para quem exige grande mobilidade, jovens em início de carreira e para todos aqueles que não disponham do capital inicial necessário para a compra (habitualmente cerca de 15% a 20% do valor do imóvel) ou não tenham a estabilidade financeira exigida pela banca para a concessão de empréstimo à habitação.
Será também a melhor opção em períodos de juros elevados.

Assim, a decisão comprar ou arrendar, dependerá sempre do enquadramento familiar e profissional de cada um, da situação do mercado imobiliário e de crédito, e, no limite, do seu sonho e projecto de vida!