Blog

Comportamento do Imobiliário em Matosinhos?

Como se comportaram os preços do imobiliário em Matosinhos nestes primeiros 9 meses de 2020?

No seguimento da análise da evolução dos preços no imobiliário, nestes primeiros 3 trimestres de 2020, no Porto e na Maia, não poderia deixar de alargar esta análise às freguesias de Matosinhos, concelho onde desenvolvo a minha actividade com igual intensidade que no concelho do Porto.

Abaixo os resultados da evolução dos preços de mercado neste terceiro trimestre de 2020 (mantendo as ressalvas e alertas da análise das duas últimas semanas, pelo que não posso deixar de recomendar, caso não o tenha feito, a leitura dos dois artigos anteriores em https://liasenra.pt/blog/)

Custóias, Leça do Balio e Guifões

  • Nos apartamentos de tipologias T1 a T3 é notório uma tendência decrescente do preço/m2 ao longo do ano de 2020. Verificou-se um acentuado crescimento no 1º trimestre do ano mas este foi já anulado, situando-se os preços ao nível dos valores médios de 2019.
  • Nos apartamentos T4 e nas moradias constata-se uma sólida estabilidade do preço médio/m2, apenas com um pico no 2º trimestre mas já regularizado.
  • É na tipologia T2, seguido pela tipologia T3 que o preço/m2 é mais elevado. Nas moradias o preço é inferior a 1.000€/m2.

Matosinhos e Leça da Palmeira:

  • É a freguesia onde se verificam os preços mais elevados por m2, sendo a tipologia T4 a que apresenta um preço/m2 superior (o que atribuo à localização destas tipologias nas zonas mais premium da freguesia)
  • Constata-se um comportamento muito díspar e diverso, por trimestre, em cada tipologia, no entanto, é curioso perceber que, independentemente do comportamento verificado nos primeiro e segundo trimestres, em todas as tipologias, no terceiro trimestre os preços igualaram os valores médios de 2019.

Perafita, Lavra e Santa Cruz do Bispo:

  • Importa alertar que o elevado preço/m2 verificado na tipologia T1 neste último trimestre se deve à uma transação de um imóvel de luxo que implicou um aumento excepcional do valor médio;
  • Também aqui há comportamentos distintos por tipologia: os T2 com uma tendência crescente; nos T3 a tendência crescente do primeiro semestre parece estar a inverter embora com valores ainda acima de 2019; nas moradias, o crescimento do preço médio no segundo trimestre já claramente inverteu e temos um 3º trimestre com um preço médio/m2 inferior a 1.000€.

São Mamede de Infesta e Senhora da Hora:

  • É claro o decréscimo progressivo do preço médio dos T1’s;
  • Por outro lado é evidente uma tendência crescente nas restantes tipologias, verificando-se um equilíbrio curioso entre o preço médio /m2 entre elas (com 1.666€ para os T2, 1.478€ para os T3 e 1.340€ para as moradias).
  • Será também de notar que o preço/m2 das moradias no 3º trimestre está 32,9% acima do preço/m2 médio de 2019.

E agora sim, está concluída a análise dos preços/m2 médios nas freguesias onde desenvolvo o meu trabalho,
Voltarei ao estudo concluindo este “atípico” ano de 2020, para uma análise anual e, conforme desafio lançado já por alguém que tem acompanhado estes meus textos, avaliarei também a oscilação no número de transações.
Espero que seja útil!
Caso considere que há algum elemento em falta que seja relevante analisar, deixe-me a sua sugestão!