Telefone: (+351) 929 261 237

Como foi 2019?

Todos preparados para 2020?

Considero que 2019 foi um ano de maturidade no imobiliário.

Depois da “revolução” de 2018, 2019 foi um ano de crescimento moderado, sustentado, diria que “maduro”.

Foi um ano de criatividade, novos projectos e investimentos.

Foi um ano sólido, de desenvolvimento profissional e reforço da relação com clientes.

Estava há dias a ler um artigo do Idealista, sobre o que aconteceu em 2019, e na verdade, partilho na integra a identificação feita no mesmo, de pelo menos 4 grandes tendências do ano que terminou.

2019 foi o ano em que, após quase uma década de adormecimento, arrancou em força a construção nova. Face a toda a construção em curso teremos em 2020 e 2021 uma oferta significativa de habitação nova. Qual será o impacto nos preços? Muitas vozes dizem que farão descer o valor da habitação usada mas, por outro lado, com o acentuado e crescente custo da construção, qual será na verdade o preço desta nova construção quando estiver concluída?

2019 foi um ano em que o arrendamento e o Alojamento Local estiveram, permanente, na mira do Governo, com um sem número de medidas, novas leis, restrições, incentivos e alterações fiscais, com o objetivo de incentivar a oferta de arrendamento tradicional tentando controlar sem prejudicar em demasia o “filão” do Alojamento Local … terão conseguido?!

2019 foi um ano de afirmação dos chamados negócios alternativos – coliving, coworking, residências para estudantes, foram projecto e investimento de vários players do mercado imobiliário, nacionais e estrangeiros, incentivados pela nova forma de viver, habitar e trabalhar das novas gerações, que já prolifera “lá fora”.

2019 foi o ano de afirmação do interesse de investidores estrangeiros em Portugal. 

Portugal está definitivamente “na moda”.  Foi o ano dos Fundos de Investimento Imobiliário, do surgimento do regime das SIGI, do desenvolvimento do Crowdfunding, dos grandes projectos de empreendimentos e edifícios de luxo.

E os preços? 

Tanto se falou em “arrefecimento” …Efetivamente houve abrandamento da subida de preços, mas a subida continuou. Apenas foi inferior à de 2018.

De acordo com o Idealista, a trajetória de subida de preços continua. No 3º trimestre de 2019 as casas ficaram mais caras 2,5%, tendo-se registado nos dois primeiros trimestres do ano aumentos, de 3,3% e 4,5%, respetivamente.

Para 2020 teremos seguramente casas novas, muito provavelmente a manutenção de um ritmo moderado de subida de preços, pelo menos nas periferias, e, esperamos, um número significativo de novos e inovadores projectos em termos de novas formas de habitação e investimento imobiliario.

Para este ano de 2020 que agora começa, sei que será necessário um trabalho de consultoria imobiliária mais especializado, capaz de dar resposta às exigências de cada vertente de um negócio, cada vez mais multifacetado. A componente emocional estará sempre presente, mas é imprescindível, nesta conjuntura de mercado, assegurar a melhor solução em termos fiscais e económicos e assegurar uma boa decisão enquanto investimento.

A consultoria imobiliária está a tornar-se cada vez mais exigente, mas também, mais valorizada. 

Sinto-me capaz, motivada e entusiasmada a fazer, não apenas mais, mas cada vez melhor.

Benvindo 2020!

Que seja um Ano de fantásticos desafios para todos!

Share this article

Comments are closed.