Anatomia da Habitação na Europa

Vivemos na Europa e há, no nosso modo de vida, muita similaridade entre os vários países. Esta similaridade é ainda mais notória quando comparamos o modo de vida Europeu com os restantes países do mundo, com sociedades, estilos de vida e realidade tão distintos.

No entanto, e avaliando em pormenor a forma como vivemos na Europa, é curioso verificar que afinal, existem ainda grandes diferenças: desde o tipo e tamanho da casa à sua qualidade, bem como se somos mais proprietários ou inquilinos.

De acordo com um estudo levado a cabo pelo Eurostat, não só a evolução dos preços das casas e das rendas varia significativamente entre os países, assim como também o acesso à habitação por país.

Casa própria ou arrendada

Na União Europeia (UE), 70% da população vive em agregados familiares com casa própria, enquanto os restantes 30% vive numa casa arrendada – em Portugal são 73,9% de proprietários contra 26,1% de inquilinos.
Ja na Roménia 96% da população tem casa própria, Hungria 92% e Eslováquia 91%. No entanto, na Alemanha, o arrendamento é quase igual, com 49% da população a ser inquilina. Seguem-se a Áustria com 45% e a Dinamarca 39%.

Moradia ou apartamento

Viver numa moradia ou num apartamento também difere entre os Estados-membros e depende se se vive na cidade ou no campo. 53% da população vive numa moradia, enquanto 46% em apartamento. Em Portugal, mais de metade vive numa moradia (54,4%), e 45,5% num apartamento.
A Irlanda (92%) regista a maior parcela da população que vive numa moradia, seguida pela Croácia e Bélgica (ambas 78%) e os Países Baixos (75%). As quotas mais altas de apartamentos encontram-se na Letónia (66%), Espanha (65%), Estónia (61%) e Grécia (59%). Nas cidades, 72% da população da UE vive em apartamento e 28% numa moradia, enquanto que, nas as áreas rurais, 82% da população vive numa moradia e apenas 18% em apartamento.

Tamanho da casa

Em média, 1,6 quartos por pessoa
O tamanho da habitação pode ser medido com o número médio de quartos por pessoa: a média na UE é de 1,6 quartos por pessoa. Entre os Estados-membros, o maior número registado é em Malta (2,2 quartos por pessoa), seguido pela Bélgica e Irlanda (ambos 2,1 quartos). No outro extremo da escala estão a Croácia, Polónia e Romênia, todos com 1,1 quartos em média por pessoa. Em Portugal são 1,7 quartos, em média.

… e 2,3 pessoas por família na UE

Um outro indicador relacionado é o número de pessoas por domicílio. Há em média 2,3 pessoas por família na UE. Entre os estados-membros, este número varia entre 2,9 pessoas na Eslováquia, 2,8 na Polónia e 2,7 no Chipre e Croácia, até 2 pessoas na Alemanha, Dinamarca, Finlândia e Suécia. Em Portugal são 2,5 pessoas por família, em média.

Qualidade da habitação

Cerca de 13% da população da UE vive numa casa com problemas de infiltrações. As percentagens mais elevadas foram observadas no Chipre (31,1%), Portugal (24,4%) e Hungria (22,3%).
6,9% da população não tem como manter a casa adequadamente aquecida. As percentagens mais elevadas foram observadas na Bulgária (30,1%), Lituânia (26,7%), Chipre (21,0%) e Portugal (18,9%), e as mais baixas na Áustria e Finlândia (ambos 1,8%) e Suécia (1,9%).
Em média, 1,6% da população não tem casa de banho, duche ou banheira. Um cenário mais comum na Roménia (22,4% da população), seguida pela Lituânia (8,7%), Letónia (7,7%) e Bulgária (7,5%).

Custos da habitação

Os custos da habitação (incluindo água, eletricidade, gás e outros combustíveis) em comparação com a média da UE, variam significativamente entre os Estados-membros. Os custos de habitação mais elevados em comparação com a média da UE encontram-se na Irlanda (77% acima da média da UE), Luxemburgo (70% acima), Dinamarca (63% acima) e Finlândia (42% acima). Os mais baixos, por outro lado, foram observados na Bulgária (64% abaixo da média da UE), Polónia (60% abaixo) e Roménia (57% abaixo). Em Portugal, os custos situaram-se cerca de 18% abaixo da média da UE.

Fonte: Eurostat – Housing in Europe – Statistics visualised (2020 edition), em Idealista.